Shevchenko e os demais heróis da Ucrânia

O futebol sempre nos guarda novas e boas histórias.

A mais recente foi escrita hoje (13), no estádio Olímpico de Kiev.

Foi ali que a Ucrânia recebeu a Espanha para mais um embate, válido pelo Grupo A4 da Nations League.

A equipe da casa passava longe de ser favorita para o confronto, uma vez que os ucranianos jamais haviam saído vitoriosos de campo contra a equipe espanhola.

O retrospecto entre os países, iniciado somente em 2003, mostrava o cenário totalmente favorável ao país ibérico.

Em seis jogos disputados, a Espanha havia vencido cinco e empatado somente um.

No último duelo entre as seleções, os espanhóis saíram de campo com um confortável 4 a 0 para cima dos ucranianos.

Porém, nessa terça-feira, os comandados de Andryi Shevchenko conseguiram alterar o cenário.

E quiseram os deuses do futebol que fosse graças ao trabalho do ex-atacante e ídolo da seleção, que o país superasse pela primeira vez o temido rival.

Ciente de sua inferioridade técnica, a Ucrânia soube suportar as investidas da seleção rival, afinal, graças à grande exibição do goleiro Georgiy Bushchan, o time não saiu de campo novamente goleado.

Além da excelente noite do homem que fica debaixo da trave, a seleção da casa também contou com outro protagonista: Viktor Tsygankov, de apenas 22 anos, que foi o responsável por marcar o primeiro gol contra os rivais em 17 anos. Além disso, foi ele quem deu a seu país a primeira vitória sobre a poderosa Espanha.

Em um raro momento no ataque, o jogador, que entrou no decorrer na partida marcou o solitário e tão comemorado gol da vitória ucraniana.

A festa nas arquibancadas, que por lá já pode contar com um número reduzido de torcedores, soou como se o estádio estivesse completamente lotado.

Um novo triunfo pode demorar a vir, mas a festa vista hoje em Kiev será sempre lembrado pela torcida e pelo povo ucraniano.