O luto iminente

Qual a sensação de viver no nada? Quanto tempo leva para se dar conta que para os olhos do país, você deixou de existir? De onde sai tanta indiferença para se conviver à beira da extinção?

Como é que você pôde, em tão pouco tempo, ser reduzida a algo insignificante para diretores, dirigentes, cardeais e presidentes?

Como podemos continuar te apoiando, torcendo e gritando, se você já não nos dá razão pra isso?

Como explicar para nossos filhos, amigos e familiares o porquê de ainda te defendermos e de ainda acreditar em ti?

O que devemos esperar do resto dessa temporada? Como não largar mão de tudo e esquecer que um dia você existiu em nossas vidas?

Essas são apenas algumas perguntas que nós fazemos para você e àqueles que te conduzem.

Ontem, às 19:54 h, você foi exterminada do cenário nacional. Sua representatividade fora reduzida a pequenos torneios estaduais. A simpatia que muitos nutriam por ti foi esquecida quando você se deixou vender. Junto com essa venda, também foram embora sua honra, integridade e o respeito que tinham por ti.

Nesses últimos anos você foi caminhando rumo à sua morte, indo direito ao encontro das armadilhas que lhe eram preparadas, e pior, você estava ciente disso.

E agora, o que você pode nos oferecer? Você se apequenou em conseqüência de seus atos.

A angústia e o sofrimento que você nos causou nesses últimos anos foram injustos. Você maltratou aqueles que te amam, seguiu rumo à extinção sem levar em consideração os sentimentos daqueles que te criaram, te amaram e te protegeram nesses quase cem anos.

Hoje você está abandonada, cercada apenas por aqueles que te querem mal, liquidada, morta…

Parece até que você deseja isso. Não esboça nenhuma reação, caminha em direção ao fim a passos firmes.

Hoje, parece não haver volta, seu brilho se foi, ficou no passado. Suas conquistas já não mais são lembradas.

Hoje o seu nome só nos remete à história, uma recordação, lembranças de glórias já tão distantes.

Temos apenas sensação da perda, do luto.

Essas palavras servem pra te mostrar o quão doloroso é ficar sem ti. A falta de te ver em campo e gritar por suas cores certamente vai aumentar com o passar do tempo.

Certeza de que um dia você ressurgirá, hoje, eu não tenho. Mas a torcida para que isso aconteça, era, é, e sempre será constante!

Nos manteremos fiéis, como sempre fomos, ainda que fiquemos órfãos de ti.

Por favor, tente nos poupar desse último golpe, não permita que a última pá de terra seja jogada sobre ti. SOBREVIVA, PORTUGUESA!

luto lusa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s